Cássia Aresta

“Pela linguagem construtiva desenvolvo minha obra. São as sensações ótico-sensoriais, através de estruturas geométricas, que desenvolvo relações espaço/tempo. Estruturas essas que geram as formas. O conceito se encontra nas interações dos planos, das delimitações, das linhas, das cores e superfície. As formas podem ser lidas como planos e vice-versa, que por sua vez são superfícies. Como superfície a ação pictórica se apresenta muito sutil por ser lisa. Quando na intersecção dos planos aparece a linha, essa cria tensões espaciais. È neste momento que para mim eu determino o tempo, que ora é marcado pelo movimento das linhas na obra seriada; ora é pelo intervalo das mesmas, dando ritmo; ora é pela divisão de cores. A cor por vezes é linguagem autônoma atuando como protagonista. O branco e o preto quase sempre presentes também são luz e sombra, são espaços, são conceitos. O predomínio da forma torna a obra real. È nesta hora que ela ganha sua plenitude. Acredito que a poética da minha obra está no campo perceptivo criado com formulações matemáticas que induz o observador a participar do projeto construtivo, como uma viagem introspectiva de si mesmo.” Cassia Aresta

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1